Hemope começa a receber candidatos já recuperados da doença para doação de plasma. Foto: Reprodução/Internet

O Hemocentro de Pernambuco (Hemope) iniciou, nesta quarta (01), o agendamento de pacientes recuperados da Covid-19 que queiram participar voluntariamente de estudo clínico com plasma convalescente para o tratamento de doentes graves internados em unidades hospitalares no Estado. Esta etapa dá início à pesquisa experimental que envolve o Hospital Universitário Oswaldo Cruz (HUOC) e o Procape, ambos da Universidade de Pernambuco (UPE); e o Hospital das Clínicas (HC) da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE).

Para ser um doador de plasma convalescente – termo que se refere ao plasma de pessoas que se recuperaram recentemente de uma infecção, sendo rico em anticorpos contra aquele agente que causou a doença -, é necessário que o candidato tenha apresentado sintomas da Covid-19 (pacientes sintomáticos) e que esteja recuperado há mais de 30 dias, além de ser do sexo masculino e ter entre 18 e 69 anos. Também é exigida a confirmação do exame laboratorial (PCR, sorologia ou teste rápido), de forma impressa ou foto no celular.

De acordo com o médico infectologista e também pesquisador e professor da UPE, Demócrito Miranda, por terem mais chances de causar uma reação conhecida como lesão pulmonar aguda relacionada à transfusão (TRALI), por conta da presença de anticorpos que são produzidos durante a gestação, o plasma das mulheres não será utilizado no estudo clínico. “É importante destacar que a pesquisa é experimental, supõe-se que funcione, mas precisamos de análises sobre a efetividade do tratamento, que será destinado a pacientes graves, hospitalizados e com pior prognóstico”, afirma.

O agendamento para um atendimento presencial no Hemope, nesta primeira semana, deve ser feito por telefone (3182-4630), de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h. A página do Hemope (http://www.hemope.pe.gov.br/) pode ser consultada para informações. O Hemope será responsável por realizar a coleta do material e os exames necessários para qualificar o plasma como convalescente. Uma amostra de sangue também será coletada para análise da presença de anticorpos da Covid-19.

“Nesta primeira fase precisamos de um banco de plasma que atenda aos critérios, ou seja, que possuam os anticorpos da doença, para posterior encaminhamento às unidades hospitalares. Por isso, é importante respeitar os critérios para doação. Pode ocorrer do paciente doar o plasma mas não ter o anticorpo, por exemplo. Após a coleta, o Hemope irá realizar as análises que são imprescindíveis para classificar e avaliar o material como plasma convalescente ou não”, pontua Demócrito. O estudo terá 110 pacientes no grupo que receberá o plasma e 110 no grupo controle. As unidades hospitalares farão a seleção dos pacientes graves que receberão o plasma.

Hemope precisa de doadores de sangue – É preocupante o estoque de bolsas de sangue do Hemope. Desde o início da pandemia da Covid-19, o número de doações vem diminuindo de forma expressiva a cada mês. Atualmente, a situação está crítica para os tipos sanguíneos A-, A+, B+, O- e O+, e os demais, estão em estado de alerta. O retorno das cirurgias eletivas nos hospitais, que são cirurgias que não são de urgência, aumentam ainda mais a preocupação do Hemocentro.

Por essa razão, significativa e solidária para com aqueles que estão precisando de sangue, a unidade solicita o apoio da população pernambucana para realizar a doação. De acordo com a diretora de Hemoterapia, Anna Fausta, a situação de estoques de bolsas de sangue está crítica. “Por isso a nossa preocupação de atender devidamente os hospitais, uma vez que precisamos de uma média diária de doações e, infelizmente, não estamos conseguindo alcançar”.

Para ela a esperança é que os doadores ajudem a repor esse estoque para o Hemope continuar cumprindo a missão de salvar vidas. “Nada fazemos sozinhos sem que todos estejam unidos e prontos para oferecer o seu sangue e a sua solidariedade em prol de todos aqueles que estão precisando”, lembrou Anna Fausta.

Para doar sangue, a pessoa deve ter entre 16 anos e 69 anos e 11 meses (59 anos e 11 meses para a primeira doação). Os menores de 18 anos precisam da presença do responsável legal (pai ou mãe), bem como levar xerox da identidade. É necessário ter mais de 50 kg, estar alimentado e em boas condições de saúde, além de apresentar um documento original, com foto (identidade, carteira de habilitação ou carteira de trabalho). Também é necessário respeitar os intervalos entre as doações de sangue, que são de três meses, para homens, e quatro meses, para mulheres.

É importante o doador agendar para evitar aglomerações. No Recife, o agendamento é feito pelo número 0800-081-1535. Para ligações interestaduais: (81) 3182-4630. Já na sede de Caruaru, o agendamento é feito pelo (81) 3719-9569.

Covid-19: Pernambuco inicia estudo de tratamento com plasma convalescente para pacientes graves
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *