Divulgação

A partir das 19 horas do próximo dia 19 e até o amanhecer do dia 29 de julho, o agreste pernambucano vai se transformar novamente em destino certo para a vivência do que há de mais belo e pulsante na arte e na cultura do Brasil. No momento em que a companhia teatral carioca Barca do Corações Partidos subir ao palco do Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti para apresentar – pela primeira vez em Pernambuco – o espetáculo “Auê”, estará oficialmente aberta a 28ª edição do FIG, o Festival de Inverno de Garanhuns.

Confira aqui a programação completa (link alternativo).

Vencedor do Prêmio Shell 2016 na categoria de melhor direção, o espetáculo que mistura dança, performance, música e teatro é uma celebração da diversidade cultural brasileira e reflete bem o tema e a grande homenageada desta edição do FIG: a liberdade.

Liberdade de criação artística e de pensamento que vai ganhar os palcos para shows musicais e apresentações de teatro e dança; as salas para exposições de artes visuais, design, moda e fotografia; a tela do cinema; os espaços literários, de artesanato e gastronomia; a lona do circo, as ruas e parques de Garanhuns.

“Nesses tempos em que a regressão civilizatória do neoliberalismo tenta impor o pensamento conservador e moralista ao aparelho de Estado, aos meios de comunicação e à cultura atacando a livre manifestação artística, estimulando a intolerância, promovendo a perseguição política e absurdos como boicotes, punições a mostras, filmes e a outras obras de arte, estamos garantindo que o FIG será novamente um território livre para fruição da nossa diversidade, da liberdade criativa e de todas as vivências artísticas e culturais, expressão da nossa própria identidade como povo”, defende Marcelino Granja, Secretário Estadual de Cultura.

Para a presidente da Fundarpe, Márcia Souto, “o grande diferencial do FIG é seu compromisso com a política pública para a cultura em Pernambuco, por ser realizado exclusivamente com recursos públicos e pelo Governo do Estado”. Ainda de acordo com a gestora, “a programação artística – construída a muitas mãos e a partir de um Edital Nacional – permite o encontro dos pernambucanos e turistas com artistas admirados em todo o País, com todas as manifestações da nossa cultura popular, com alguns Patrimônios Vivos do Estado, mas também com o que há de novidade nas mais diversas expressões culturais”.

De acordo com o coordenador executivo e artístico do FIG, André Brasileiro, “a programação é um recorte precioso do que há de atual e urgente nas diversas cenas da arte brasileira, o que contribui para consolidar o Festival como o maior evento de fruição da nossa cultura, em pleno agreste pernambucano, e que também abre espaço para os artistas desta região e de todos os cantos do Estado”.

Realizado pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secult-PE e da Fundarpe, o FIG conta com a parceria da Prefeitura de Garanhuns, da Cepe Editora, do SESC Pernambuco, do SEBRAE, do Conservatório Pernambucano de Música e do Festival Virtuosi.

PROMOÇÃO DAS LIBERDADES

Todos os polos do FIG vão revelar o compromisso do Governo de Pernambuco com a promoção das liberdades artística, estética, política, religiosa e de expressão, como um marco de enfrentamento dos preconceitos, da intolerância e da afirmação do Estado democrático de direito.

programação de teatro figura entre os destaques desta proposta curatorial. Vinte e quatro premiados espetáculos da atualidade brasileira, de grupos de prestígio internacional, estão confirmados. O combate à intolerância e à discriminação vai ganhar força com a apresentação das obras selecionadas. Entre elas, O Evangelho segundo Jesus, a Rainha do Céu, alvo de protestos pelo País e que chegou a ter sessões canceladas por decisão judicial, evidenciando o preconceito contra as pessoas transexuais.

As montagens também abordarão questões de gênero, como o espetáculo potiguar Violetas. A partir de obras protagonizadas por negros e que evidenciam a cultura negra, como Contos Negreiros do BrasilPoeta Preto e Histórias Bordadas em Mim, o racismo também será discutido. O teatro documentário também estará presente na programação em quase todas as peças, a exemplo do infantil As Três Marias, também com o gaúcho Caio do Céu, o paulista Carta 1: A Infância Promessa de Mãe, o olindense Solo de Guerra, e o recifense Salmo 91.

A liberdade de expressão da religiosidade por meio de danças e ritos culturais também está garantida no Festival. O palco de Cultura Popular Ariano Suassuna recebe uma programação diversa, agregando grupos de afoxé, maracatu, caboclinhos, reisados e tantas outras manifestações que expressam a diversidade cultural pernambucana, como bois, blocos líricos, escolas de samba, ciranda, clubes de frevo, coco e cavalo marinho, demonstrando a resistência da classe trabalhadora e dos setores populares da sociedade.

PLATAFORMA FIG
Pelo segundo ano consecutivo, o Festival promove a ação especial Plataforma FIG, um encontro entre artistas do Estado com programadores de importantes festivais de música do Brasil, além de jornalistas especializados e outros agentes da cadeia produtiva da música.

Direitos Autorais, o mercado digital, a relação entre produtos audiovisuais e a música, além das políticas públicas para o setor são alguns dos temas dos debates programados, que acontecerão entre os dias 26 e 28/7.

PALCO MESTRE DOMINGUINHOS
Maior polo do Festival, o Palco Mestre Dominguinhos recebe em mais uma edição toda a diversidade de ritmos que marca a música brasileira. A primeira noite de shows, a sexta-feira (20), será comandada pelos pernambucanos do Cordel do Fogo Encantado, da Orquestra Santa Massa, além de Siba e a Fuloresta, Anderson do Pife com a tradicional banda de pífano Zé do Estado.

Até o sábado (28), o palco recebe atrações como Maria RitaVanessa da MataGaby AmarantosJohnny Hooker, Nação ZumbiDiogo NogueiraFlávio VenturiniSantannaCoco de Umbigada, o rapper Emicida e a banda baiana ÀTTØØXXÁ.

A noite da segunda-feira (23), que será encerrada pelo cantor Odair José, vai ser também de reverência a grandes cantoras brasileiras com os shows: “Gonzaga Leal e Áurea Martins cantam Dalva de Oliveira”, “Cristina Amaral canta Núbia Lafayette” e “Bárbara Eugênia canta Diana”.

Ainda entre os destaques do polo, o show Nova Cena Pernambucana tem direção musical de Juliano Holanda e apresenta Aninha MartinsFlaira Ferro, Isaar, Isadora Melo, Martins, Almério, Romero Ferro e Amaro Freitas. Muito bem recebido no Rio Creative Conference (Rio2C 2018), o show traz um recorte da cena musical pernambucana em evidência e reflete a vasta gama de sonoridades que tão bem simboliza a nossa música. Além de evidenciar o repertório próprio dos artistas no palco, o show conta com homenagens a Luiz Gonzaga, Alceu Valença, Lia de Itamaracá, Reginaldo Rossi; e também projeções visuais desenvolvidas pelo VJ Gabriel Furtado dos filmes em Super8 de Jommard Muniz de Brito.

CIRCO E DANÇA
Pela primeira vez na história do Festival, a dança contemporânea alternativa ganha uma mostra específica, que acontece no Salão Jaime Pincho (SESC). Espetáculos como os pernambucanos Segunda PeleMeia Noite e O Grito, assim como os paulistas Porque somos mutantes e Devolve duas horas da minha vida são alguns destaques da programação.

Já pela lona do circo, passarão artistas tradicionais e também representantes de expressões mais contemporâneas. Entre as atrações confirmadas, destaque para a 2ª Mostra de Números Tradicionais, resultado do Projeto Formação de Jovens Circenses no âmbito da Cooperação Brasil/França iniciado em 2017. Os circos familiares (Vidal, Nawellington, American Circus, Itinerante Alves) também vão arrastar milhares de adultos e crianças ao Parque Euclides Dourado, já a partir do sábado (21).

LITERATURA
Mais de 60 atrações, entre recitais, debates, lançamentos de livros e leituras dramáticas integram a programação do polo de literatura do Festival que, nesta edição, recebe o nome de Praça da Palavra Raimundo Carrero. A homenagem faz parte de um roteiro de tributos organizado pelo Governo de Pernambuco para marcar os 70 anos do escritor, um dos mais premiados do País. Já no sábado (21), acontece o lançamento da tetralogia “Condenados à Vida” (Cepe Editora), que reúne quatro romances importantes de Carrero: ‘Maçã Agreste’, ‘Somos pedras que se consomem’, ‘O amor não tem bons sentimentos’, e ‘Tangolomango’. A partir das 19h, o escritor conversa com o jornalista Marcelo Pereira.

Ainda entre os destaques do polo, o debate “Três Olhares para Literatura Infantojuvenil”, com os escritores Cleyton Cabral, Cícero Belmar e Paulo André Viana, que acontece no sábado (28); a Mesa de Glosas “Mulheres de Repente”, com Dayanne Rocha, Elenilda Amaral, Erivoneide Amaral, Francisca Araújo e Luna Vitrolira; o debate com os vencedores do V Prêmio Pernambuco de Literatura: Ezter Liu, Enoo Miranda, Amâncio Siqueira, Fred Caju e Walter Cavalcanti Costa; além de toda uma programação alusiva ao protagonismo feminino na literatura, como o Recital SLAM das Minas, com Patrícia Naia, Bell Puã e Olga Pinheiro.

PALCO POP
Música autoral e contemporânea, que trafega por circuitos mais alternativos de divulgação, é a pegada do Palco Pop. A partir da terça-feira (24) e até o sábado (28), passam por lá atrações como a cantora baiana Xênia França, a rapper paulista Tássia Reis, os cantores recifenses Juvenil Silva e Publius Lentulus, o baiano Giovanni Cidreira, a banda cearense Jonnata Doll e Os Garotos Solventes, a goianense Boogarins e a icônica Tribo de Jah.

FOTOGRAFIA
Quatro exposições, além de uma intervenção urbana e um relançamento de livro fotográfico estão na programação do FIG. Entre os temas abordados, destaque para a relação do homem com a natureza; o cotidiano em comunidades quilombolas e indígenas na América Latina; o Carnaval Pernambucano e a tradição milenar das loiceiras de Tacaratu.

DESIGN E MODA
Promover o consumo consciente, evidenciar paisagens e hábitos do Agreste pernambucano, enaltecer produtores locais, e até refletir sobre os logotipos utilizados ao longo da história do FIG estão entre os objetivos da programação de Design e Moda do Festival. São oito ações que abrem ao público a partir do sábado (21), incluindo um mercado de moda com marcas pernambucanas, independentes e autorais.

PALCO INSTRUMENTAL
A música instrumental está presente em mais uma edição do Festival de Inverno de Garanhuns. O palco no Parque Ruber van der Linden recebe, a partir da terça-feira (24), atrações como o Maestro Duda, a Banda Musical Curica e o Maestro Ademir Araújo (três Patrimônios Vivos de Pernambuco), o pianista Vitor Araújo, o saxofonista Leo Gandelman, e o guitarrista baiano Armandinho, que encerra a programação do polo no sábado (28), em um show com o arcodeonista Beto Hortis.

ARTESANATO
A parceria com o SEBRAE está garantindo mais uma edição do Armazém das Artes e Negócios. Este ano, serão setenta e seis estandes ocupados pelos artesãos selecionados pelo SEBRAE, pela Convocatória para ocupação de espaços da Secult/Fundarpe ou convidados pela organização. Mestre NidoMestra Cida, a Associação das Artesãs de Passira e a Associação dos Mamulengueiros de Glória do Goitá estão entre as atrações.

PALCO FORRÓ
Nádia MaiaIrah CaldeiraAzulão, Cezzinha e Gennaro são algumas das atrações que vão esquentar o palco Forró do FIG 2018. As apresentações acontecem de terça-feira (24) até o sábado (28).

SOM NA RURAL
A mistura de gêneros que tem atraído cada vez mais público ao polo Som na Rural, localizado no Parque Euclides Dourado, está reforçada nesta edição do FIG. A programação por lá já abre na sexta-feira (21), a partir das 18h, e segue até o sábado (28). Entre as atrações confirmadas estão o Mestre Luiz Paixão, os cantores olindenses Gilu Amaral e TinéBande Dessinée, a cantora mineira Ceumar, a pernambucana Isaar e outros nomes de destaque da nova música pernambucana, como Vertin MouraGabi da Pele Preta e Helton Moura.

MÚSICA NA CATEDRAL
A Catedral de Santo Antônio segue como polo para apreciação de instrumentistas  e cantores que chegam a Garanhuns com as programações do Conservatório Pernambucano de Música (CPM) e Festival Virtuosi, parceiros do FIG.

As atrações sob a curadoria do CPM começam já na quinta-feira (19), com Wagner Tiso Trio. Entre os destaques da programação estão ainda o grupo SaGRAMA, as cantoras Ná Ozzetti e Mônica SalmasoFrancis Himme e Olívia Himme, e o show “10 Anos sem Caymmi”, com presença de Danilo Caymmi e instrumentistas.

Já o Festival Virtuosi chega à sua 15ª edição na Serra trazendo instrumentistas de excelência como o pianista Victor Asuncion, os integrantes do Quinteto Sopro BrasilSexteto BrassilOrquestra Jovem de Pernambuco sob a regência de Rafael Garcia e do contratenor João Paulo Ferreira. Na sexta-feira (27), o Virtuosi promove o concerto ‘Canto de Uma Nação’, com canções típicas brasileiras do compositor Heitor Villa-Lobos.

GASTRONOMIA
A gastronomia do agreste pernambucano é destaque na programação do FIG. A mostra “Panela de Barro, Cultura no Prato” agrega atividades como exposição das loiceiras de Belo Jardim, vivência com as Mestras Delma, Cida e Neguinha, além de lançamento de livros, debates e “cozinha show” com chefs de Garanhuns selecionados através de curadoria específica.

ARTES VISUAIS
Quatro exposições e uma performance integram a programação de Artes Visuais do FIG 2018. A partir do contato com o trabalho dos artistas Tonfil, França Bonzion, Ana Flávia Mendonça e Priscila Rezende, o público do Festival poderá refletir sobre temas como o preconceito na sociedade, padrões de beleza e comportamento impostos às mulheres e injustiças sociais. Uma instalação de Thelmo Cristovam convida ainda para uma imersão sonora em obras desenvolvidas a partir de princípios da matemática e aspectos da bioacústica.

PATRIMÔNIO
De 19 a 28 de julho, o Instituto Histórico, Geográfico e Cultural de Garanhuns – IHGCG promove ações como lançamento da revista “Ruber”, palestras, recital de canto gregoriano e apresentações teatrais. Já a exposição Museu Afro Digital destaca o acervo da Coleção Missão Folclórica de Mário de Andrade, com peças de terreiros de Pernambuco confiscadas nos anos 1930, através de recursos interativos e holográficos.

AUDIOVISUAL
A recente produção cinematográfica do Estado será mais uma vez o destaque da programação de audiovisual. As sessões serão gratuitas, para todas as idades, seguidas por debates com realizadores.

Confira a programação atualizada e outras notícias sobre o Festival em www.cultura.pe.gov.br/fig2018

Divulgada programação do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG)
Classificado como:                        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *