O colegiado registrou repúdio à atitude do advogado pernambucano Diego Jatobá, que, junto a um grupo, filmou a cena em que ridicularizavam jovem russa com palavras e gestos obscenos. Foto: Alepe

A conduta do advogado e político pernambucano que, em vídeo, constrange uma estrangeira durante a Copa do Mundo da Rússia motivou um Voto de Protesto da Comissão da Mulher nesta terça (19), na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). O colegiado registrou repúdio à atitude do rapaz, que, junto a um grupo, filmou a cena em que ridicularizavam a jovem com palavras e gestos obscenos.

“A Comissão expressa indignação pelo comportamento machista e misógino do advogado pernambucano Diego Jatobá. O Legislativo tem a missão de dar visibilidade à violência moral e psicológica travestida de piada. Assédio não é brincadeira”, frisa o documento aprovado pelos parlamentares. “A violência começa com a falta de respeito, daí a importância de frear este tipo de comportamento”, acrescenta o texto (confira na íntegra).

“Esse episódio precisa servir de reflexão. O que nós mulheres queremos é respeito”, sublinhou a presidente da Comissão da Mulher, deputada Simone Santana (PSB). “Foi um ato de selvageria, algo muito grave e que provoca grande indignação”, comentou Laura Gomes (PSB). “É triste imaginar que isso é apenas a ponta do iceberg, algo que veio a público mas que as mulheres vivenciam todos os dias em suas vidas particulares”, comentou Priscila Krause (DEM). Aluísio Lessa (PSB) e Edilson Silva (PSOL) acompanharam as opiniões.

Carta aberta – Outro tema motivou manifestação durante a reunião desta terça. Os deputados declararam apoio ao entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de que 30% dos recursos dos partidos e do tempo de campanha no rádio e na TV deverão ser destinados a candidaturas de mulheres.

O colegiado aprovou a divulgação de uma carta aberta em que defende o posicionamento do Judiciário sobre o assunto. “É pertinente e necessária a decisão do TSE. A medida representa um passo adiante no sentido de promover um pleito mais democrático”, anota o documento (leia o texto completo).

Na mesma ocasião, a deputada Priscila Krause foi eleita a vice-presidente da Comissão. Ela vai substituir a ex-vice-presidente Terezinha Nunes, que ocupava uma cadeira na Alepe na condição de suplente e deixou a Casa no início do ano.

Comissão da Mulher, na Alepe, aprova Voto de Protesto contra vídeo machista de pernambucano na Rússia
Classificado como:            

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *