As lideranças da Oposição e do Governo, Sílvio Costa Filho (PRB) e Isaltino Nascimento (PSB), respectivamente, ocuparam a tribuna da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), nesta quinta (21), para relatar as principais ações desenvolvidas pelas bancadas em 2017. O oposicionista ressaltou a importância das visitas e viagens feitas durante o ano, dentro do projeto “Pernambuco de Verdade”, com o objetivo de fiscalizar obras e equipamentos públicos. O governista, por sua vez, elencou ações da gestão estadual, elogiando “o equilíbrio nas contas, os avanços na educação e os investimentos em segurança pública”.

O oposicionista Sílvio Costa Filho destacou visitas a mais de 65 cidades para observar o “conjunto de obras inacabadas”. Foto: Lourival Maia/Alepe

“Ao longo de 2017, tivemos a oportunidade de percorrer mais de cinco mil quilômetros e visitar mais de 65 cidades para observar o conjunto de obras inacabadas que temos hoje e, acima de tudo, ouvir o povo de Pernambuco”, frisou Costa Filho. “Mais do que a atuação nas tribunas e gabinetes, é a conversa com a população dos quatro cantos do Estado que tem fortalecido a Oposição nesta Casa”, considerou.

Para o oposicionista, esse diálogo revelou o “fracasso do atual Governo na gestão das áreas de segurança e saúde, nos investimentos públicos e na geração de emprego”. “Tivemos o ano mais violento da história, com mais de cinco mil assassinatos. E, quando analisamos a situação econômica, vemos que Pernambuco hoje faz menos investimentos do que Estados vizinhos”, declarou o parlamentar. Segundo ele, Pernambuco investiu 5,5% de sua Receita Corrente Líquida (RCL), enquanto o Ceará chegou a 12,2% e a Bahia, a 10,8%.

Outro problema levantado foi o número de obras inacabadas no Estado. “Segundo o Tribunal de Contas, temos mais de 1,5 mil obras paralisadas ou inacabadas, o que inclui o BRT, UPAs, escolas de referência e conjuntos habitacionais”, prosseguiu Costa Filho, enfatizando ainda o aumento do desemprego. “Enquanto o desemprego no Brasil caiu, o número de pessoas sem trabalho em Pernambuco aumentou”, apontou.

Governo – Já Isaltino Nascimento lembrou que cinco Estados brasileiros não conseguirão pagar o 13° salário dos servidores neste ano, fato que não se repete em Pernambuco. “Isso é uma demonstração de que aqui conseguimos superar as adversidades que vivenciamos”, afirmou. O governista destacou a relevância do Programa Especial de Recuperação de Créditos Tributários (Perc) para o equilíbrio das contas.

O governista Isaltino Nascimento elogiou “o equilíbrio nas contas, os avanços na educação e os investimentos em segurança pública”. Foto: Lourival Maia/Alepe

A conquista da melhor nota no Ensino Médio de escolas públicas do Estado, no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), também foi comemorada pelo líder, que ressaltou, também, os recentes investimentos anunciados para o Ensino Superior. “Aprovamos, em 2017, o Programa PE no Campus, que concederá bolsas para que os alunos consigam permanecer na universidade. Garantimos, ainda, o fortalecimento do Proupe”, observou.

Nascimento reconheceu, porém, que a segurança pública é uma área que é preciso aprimorar. “Conseguimos investir muito e, certamente, veremos resultados positivos no próximo ano”, avaliou o deputado, citando a convocação de 1.500 novos policiais militares, melhorias nas gratificações dos profissionais e a criação de quatro batalhões especializados da PM no Estado: Caruaru (já entregue), Itapissuma, Petrolina e Lajedo (anunciados).

“Estamos satisfeitos de ter contribuído para o trabalho positivo que o Governo tem feito em Pernambuco”, disse, destacando, ainda, as contribuições da Oposição. “A democracia pressupõe o contraditório.” Nascimento também agradeceu o apoio da Mesa Diretora, de servidores e dos vice-líderes, Ricardo Costa (PMDB) e Rodrigo Novaes (PSD). “Minha gratidão aos vice-líderes é extensiva a todos os que compõem bancada.”

Líderes apontam na Alepe ações de bancadas e analisam gestão estadual
Classificado como:        

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *