O número de assaltos a coletivos caiu pelo terceiro mês consecutivo e atingiu, em novembro, a menor marca no biênio 2016/2017. As 53 ocorrências registradas em novembro estão abaixo de outubro (65) e setembro (75), o melhor trimestre do ano. Em janeiro, o pior mês, ocorreram 199 investidas. Os Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVP), que incluem todas as modalidades de roubos, também decresceram pelo terceiro mês consecutivo, ficando na menor marca entre os meses de 2016 e 2017. As polícias contabilizaram 8.083 casos em novembro, contra 8.866 (- 8,8%) em outubro e 9.551 em setembro, formando o trimestre do ano com menores estatísticas.

“Ao reduzir significativamente os crimes contra o patrimônio, estamos aumentando a sensação de segurança de todos os cidadãos que trafegam nas ruas, andam em coletivos, se deslocam para o trabalho, curtem as horas de lazer em espaços públicos, frequentam as feiras livres. É resultado de operações importantes, a exemplo da Agamenon Magalhães, Cerne, Têxtil, Verão e Papai Noel, e da atuação da Força-Tarefa Coletivos, com abordagens nos corredores de grande fluxo e a prisão de 300 assaltantes de ônibus. Somente este ano, foram 21.673 prisões em flagrante pelas forças de segurança, retirando de circulação praticantes contumazes de roubos e assaltos”, explica o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua.

Outra modalidade de crimes contra o patrimônio, os roubos e furtos de veículos decresceram em 209 casos em novembro, na comparação com outubro. De 1.523 roubos e 517 furtos notificados no mês anterior, novembro teve 1.371 ocorrências de roubo e 460 de furto de veículos.

CVLIs Em novembro, houve 456 Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que incluem homicídios, latrocínios e lesão corporal seguida de morte. “Percebemos que, comparando os últimos cinco meses (julho a novembro) com os cinco primeiros meses de 2017 (janeiro a maio), temos uma queda de 13,6% em todo o Estado, sendo 19,2% na Capital. Analisando ainda esses períodos, temos uma queda de 24,6% nos latrocínios no Estado e 55,6% no Recife. Estamos trabalhando intensamente quebrar a espinha dorsal dos CVLIs e confiantes de que nossos melhores resultados virão em 2018, com a chegada de novos policiais civis, militares, bombeiros e científicos, totalizando um reforço de 1.583 servidores. Ganharemos mais musculatura na investigação, nas repressões qualificadas e atuação das especializadas, desarticulando de grupos de extermínio. É preciso, no entanto, entender o cenário brasileiro, que demonstrou aumento de homicídios em todo o território nacional, sobretudo no Nordeste. Não somos uma ilha e sofremos as consequências de falta de fiscalização nas fronteiras, ausência de vagas em presídios federais, de uma política nacional de segurança e recursos da União para apoiar os estados”, argumenta o secretário.

Em novembro, a produtividade das polícias contabilizou a apreensão de 481 jovens por ato infracional, recolhimento 416 armas e atuação em 435 ocorrências de repressão ao tráfico de drogas.

Mulher No que diz respeito à violência contra a mulher, os números também vêm apresentando queda. De outubro para novembro, os casos de violência doméstica baixaram de 3.152 para 2.911, o que significa uma média diária 4,57% menor. Novembro teve, ainda, 12 casos a menos de estupro na comparação com o mês anterior, com 171 ocorrências. A média diária reduziu-se em 3,44% de outubro para o mês seguinte, e o total de casos no ano chegou a 1.961.

Pernambuco: Crimes contra o patrimônio e roubos a ônibus com menores índices no biênio 2016/2017
Classificado como:    

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *